Fechar
Acesso restrito


Notcias

27/12/2017 - CONSULTORIA - Como a due diligence beneficia os processos de fuso e aquisio das empresas



Para realizar operações de expansão comercial, como a compra, fusão ou aquisição, as empresas devem realizar um processo de investigação para conhecer a real situação da empresa-alvo nos aspectos contábeis, financeiros, tributários, trabalhistas e previdenciários, conhecido como due diligence (diligência prévia, em português).
 
Os dados divulgados na plataforma Transactional Track Record (TTR) apontam que foram registrados 975 negócios no mercado brasileiro entre os meses de janeiro e novembro, uma alta de 5,63% em relação ao mesmo período do ano passado, sendo um dos únicos países do mercado latino-americano que tiveram aumento no número de transações.
 
De acordo com a DPC – Domingues e Pinho (GBrasil – RJ e SP), que conta com especialistas no assunto, a due diligence garante diagnóstico preciso do negócio para a definição de garantias e a estruturação fiscal do investimento. Marluci Azevedo, diretora da empresa contábil, informa as fases essenciais para esse tipo de processo.
 
Qual é o primeiro passo para a empresa se preparar para a due diligence?
 
A primeira etapa é uma observação inicial, em que os consultores conhecem as principais características do negócio e traçam a estratégia adequada àquele ambiente, ao escopo contratado e aos objetivos do levantamento. Durante essa fase de preparação, também são definidos o cronograma e a metodologia a ser empregada.
 
Como é a fase de desenvolvimento da atividade?
 
Os consultores avaliam os dados e documentos pertinentes ao escopo, de forma que seja possível realizar uma avaliação completa e aprofundada da situação da empresa.
 
Como verificar a situação da empresa no âmbito contábil e tributário?
 
A due diligence engloba a revisão de balanços e demonstrações contábeis e financeiras, das obrigações acessórias e da conformidade em relação aos tributos federais, estaduais e municipais. Esse tipo de constatação tem grande influência nos termos da negociação, pois se forem detectadas falhas, a empresa interessada na fusão irá estimar e considerar o valor de possíveis prejuízos no fechamento do contrato.
 
E os riscos trabalhistas?
 
É realizado o procedimento com o levantamento das contingências trabalhistas, a revisão das obrigações acessórias, além da análise das formas de contratação adotadas e possíveis riscos.
 
Quanto tempo dura o processo de due diligence?
 
A due diligence não é considerada um procedimento que possa ser executado às pressas. Embora a duração esteja relacionada ao porte do negócio e ao escopo investigado, o estudo deve ser bem aprofundado, de forma a garantir exatidão e confiabilidade para identificar falhas ou pontos de atenção que podem representar ameaças para o cliente.
 
Quais são os resultados?
 
O produto final é um relatório imparcial em que os fatos observados são descritos detalhadamente proporcionando uma visão mais clara do momento do negócio e dos riscos associados para as decisões futuras. Vale ressaltar que a due diligence não aponta se a transação é vantajosa para as partes e nem sugere valores para negociação, pois esse julgamento cabe ao investidor que estará munido de informações qualificadas para tomada de decisão mais oportuna e lucrativa.
 
Como contratar o serviço de due diligence?
 
Quem contrata o serviço de consultoria precisa ter garantia de confidencialidade e imparcialidade na condução das atividades. Além disso, é preciso aliar o conhecimento técnico a uma atuação ética nesse levantamento minucioso e, por isso, se faz necessário contar com uma assessoria experiente na execução desse trabalho.

Newsletter

Rua Clodomiro Amazonas, 1435
So Paulo - SP - 04537-012
e-mail: contato@gbrasilcontabilidade.com.br
Tel: (11) 3814-8436
veja o mapa